Ir para Conteúdo

Notícias

Autarquia no encontro ‘Biorresíduos: Gestão para o Futuro’
22 set '22 | Ambiente
Autarquia no encontro ‘Biorresíduos: Gestão para o Futuro’
Sessão promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo decorreu na passada segunda-feira.   O auditório da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Portalegre recebeu na passada segunda-feira, dia 19 de setembro, o encontro promovido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, com a colaboração da VALNOR e da AREANATejo, denominado ‘Biorresíduos: Gestão para o Futuro’. A sessão contou com as intervenções do presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Hugo Hilário, do diretor-delegado dos Serviços Municipalizados de Abrantes, Ricardo Aparício, do chefe da Unidade de Higiene e Limpeza Pública da Câmara Municipal de Évora, João Palma, da coordenadora de Comuniação da Valorlis, Cidália Martins e da diretora dos Serviços de Gestão do Fundo Ambiental, Ana Pinheiro, tendo sido abordados, entre outros, temas como a ‘Estratégia para a recolha seletiva de biorresíduos no concelho de Abrantes’, ‘A recolha de biorresíduos no Município de Évora’, a ‘Implementação do projeto de compostagem doméstica da Valorlis’. Este encontro que contou com a apresentação de trabalho, estratégias e boas práticas para uma gestão eficaz e ecológica de biorresíduos ao nível local foi sobretudo dirigido às autarquias da região, não faltando o Município de Arronches à chamada, tendo-se feito representar pelo vice-presidente Paulo Furtado, que detém o pelouro do Ambiente e pela técnica da Divisão de Obras e Serviços Urbanos, Dulce Bigares.   Nota: Fotografias gentilmente cedidas pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo.
Informação – Arronches sob alerta
21 set '22 | Ambiente
Informação – Arronches sob alerta
Ao longo desta quarta-feira, precipitação e trovoada colocam concelho sob Aviso Amarelo.   Respeitando as informações prestadas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o concelho de Arronches, bem como todos os concelhos da região, vai estar durante esta quarta-feira, dia 21 de setembro, sob Aviso Amarelo, devido à ocorrência de precipitação e de trovoadas. Com efeito, entre as 12H00 e as 18H00 deste dia, são esperados aguaceiros, por vezes fortes e de granizo, frequentemente acompanhados por trovoada. Levando estas informações em consideração, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e o Serviço Municipal de Proteção Civil relembram que é de extrema importância a adoção de medidas de autoproteção adequadas às supracitadas condições meteorológicas, tais como:
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água ou gelo nas vias;
  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criar obstáculo ao escoamento de águas;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas, garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas.
  • Ter especial cuidado na circulação junto a zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • Ter especial cuidado na circulação junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte.
Informação – Precipitação e Vento colocam concelho em alerta
12 set '22 | Ambiente
Informação – Precipitação e Vento colocam concelho em alerta
Municípios do distrito de Portalegre vão estar sob Aviso Amarelo durante segunda e terça-feira.   O concelho de Arronches, bem como todos os municípios do distrito de Portalegre e de outros distritos do país, vai estar, durante segunda e terça-feira, sob Aviso Amarelo devido à precipitação e ao vento que se farão sentir nesse período. Segundo informações prestadas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, entre as 11H00 de dia 12 de setembro e as 18H00 de dia 13, é esperada a ocorrência de precipitação por vezes forte, ocasionalmente acompanhada de trovoadas e rajadas fortes, bem como de vento por vezes forte do quadrante sul, com rajadas até 75 km/h. Por essa razão, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e o Serviço Municipal de Proteção Civil sublinham a importância de adotar medidas de autoproteção adequadas a estas condições meteorológicas, tais como:
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água ou gelo nas vias;
  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criar obstáculo ao escoamento de águas;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas, garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação junto a zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • Ter especial cuidado na circulação junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte.
Informação – Arronches em alerta devido à temperatura alta
18 ago '22 | Ambiente
Informação – Arronches em alerta devido à temperatura alta
Tempo quente coloca todo o distrito de Portalegre sob Aviso Amarelo durante os próximos dois dias.   Devido ao intenso calor que se fará sentir nos próximos dias, todo o distrito de Portalegre vai estar sob Aviso Amarelo. Arronches não é exceção, com a persistência de valores elevados da temperatura máxima a colocar o concelho em alerta entre as 09H00 de dia 19 e as 18H00 de dia 20 de agosto. Por essa razão, a Câmara Municipal de Arronches relembra uma vez mais que é fundamental a adoção de medidas preventivas, sobretudo por parte da população mais vulnerável ao calor, como crianças nos primeiros anos de vida, idosos, portadores de doenças crónicas (cardiovasculares, respiratórias, renais e diabetes), obesos, acamados, pessoas com problemas de saúde mental e pessoas que tomam medicamentos, tais como, anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos, neurolépticos, entre outros.   Partilhamos então algumas das medidas a ser adotadas: Proteja-se do sol e do calor - Evite a exposição direta ao Sol, em especial, entre as 11 e as 16 horas; - Na praia, mesmo debaixo do chapéu de sol não está protegido. A água do mar também reflete os raios solares podendo provocar queimaduras solares; - Sempre que se expuser ao Sol ou andar ao ar livre, use protetor solar (índice>30); - Use chapéu e óculos escuros (especialmente para pessoas de pele clara). Proteja a cabeça das crianças com chapéu de abas; - Use roupa solta, de preferência de algodão e aplique sempre protetor solar; - Nos dias de grande calor, os bebés e os idosos não deverão ir à praia; - Diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.   Beba e faça uma alimentação equilibrada - Aumente a ingestão de água ou de sumos de fruta naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede; - Evite bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar; - Faça refeições leves, pouco condimentadas e mais frequentes; - Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir sede. Ofereça-lhes água.   Refresque-se - Permaneça 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco. Se isso não for possível em sua casa, visite centros comerciais, museus, cinemas ou outros locais com ar condicionado; - No período de maior calor tomar um banho de água tépida. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura.   Em casa - Evite que o calor entre. Corra as persianas ou portadas e mantenha o ar a circular; - Abra as janelas durante a noite; - Use menos roupa na cama, sobretudo, dos bebés e doentes acamados.   Em viagem - Se o carro não tiver ar condicionado não feche completamente as janelas; - Leve água ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar; - Sempre que possível viaje de noite; - Evite a permanência em viaturas expostas ao Sol, em especial, de crianças, doentes ou idosos.   Procure e dê ajuda - Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou vizinho no caso de se sentir mal com o calor; - Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas ou com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor.   Ajude a passar esta mensagem!   Se necessário ligue: Saúde 24 - 808 24 24 24 e em caso de emergência ligue 112.   Siga aqui, diariamente, os alertas lançados pelo IPMA: https://bit.ly/3yA3KNh Siga aqui, diariamente, as previsões do Índice Ultravioleta: https://bit.ly/3dVhY3z Siga aqui, diariamente, as Classes de Risco de Incêndio por Concelho: https://bit.ly/2vo8bvB
Aviso à População - Incêndios Rurais - Alerta Máximo
11 jul '22 | Ambiente
Aviso à População - Incêndios Rurais - Alerta Máximo
Declaração da Situação de Contingência   ALERTA Incremento do nível de alerta para VERMELHO - Perigo Meteorológico de Incêndio Rural - PARA A TOTALIDADE DO TERRITÓRIO NACIONAL em vigor das 00.00h do dia 11e as 23.59h do dia 15 de julho 2022. - EFEITOS EXPECTÁVEIS Aumento da dificuldade das ações de supressão aos incêndios rurais em consequência do aumento da temperatura, baixa humidade relativa do ar e aumento gradual do grau de secura dos combustíveis; - MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO A ANEPC e a Câmara Municipal de Arronches recomendam a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção ao perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais dos municípios e dos Corpos de Bombeiros. Fonte: ANEPC 1-Declara-se situação de contingência entre as 00h00 de 11 de julho de 2022 e as 23h59 de 15 de julho de 2022, para todo o território continental, podendo a mesma ser prolongada caso a situação assim o determine. Sem prejuízo de outras restrições ou condicionamentos previstos no Decreto-Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, determina-se a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional: 2- Sem prejuízo de outras restrições ou condicionamentos previstos no Decreto-Lei n.º82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, determina-se a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional: a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no n.º 2 do artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional; b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração; c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais; d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal; e) Proibição da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas. 3 - A proibição prevista nas alíneas c) e d) do número anterior não abrange: a) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição; b) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura; c) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural. 4 - A declaração da situação de contingência implica: a) O imediato acionamento de todos os planos de emergência e proteção civil nos diferentes níveis territoriais; b) A passagem ao Estado de Alerta Especial de nível vermelho, do DECIR, para todos os distritos, com mobilização de todos os meios disponíveis; c) O reforço do dispositivo dos Corpos de Bombeiros com a contratualização de até 100 novas Equipas, mediante a disponibilidade dos Corpos de Bombeiros; d) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso; e) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio social, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através das respetivas tutelas; f) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais; g) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela; h) O aumento do nível de prontidão das equipas de resposta das entidades com especial dever de cooperação nas áreas das comunicações (operadoras de redes fixas e móveis) e energia (transporte e distribuição); i) O reforço, pela GNR, das ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização terrestre e aérea através de meios das Forças Armadas, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo; j) A mobilização de meios de apoio e resposta previstos nos planos de emergência, nomeadamente a nível municipal, de cisternas de água para apoio às operações de supressão ou outros equipamentos; k) O reforço da capacidade de atendimento do serviço 112; l) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, nos termos dos artigos 26.º e 26.º-A do Decreto-Lei n.º 241/2007, de 21 de junho, salvo aqueles que desempenhem funções nas Forças Armadas, forças de segurança e na ANEPC, bem como em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P., Gabinetes da Ministra da Defesa Nacional, do Ministro da Administração Interna, da Ministra da Saúde, do Ministro do Ambiente e da Ação Climática e da Ministra da Agricultura e da Alimentação.
Informação – Altas temperaturas colocam concelho sob alerta
07 jul '22 | Ambiente
Informação – Altas temperaturas colocam concelho sob alerta
Tempo quente coloca Arronches, bem como os restantes concelhos da região, sob Aviso Amarelo e Laranja.   O concelho de Arronches, bem como todos os concelhos do Alto Alentejo e de outras regiões do país, vai estar nos próximos dias em alerta, devido às altas temperaturas que se farão sentir. Com efeito, as informações fornecidas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera indicam que este território estará, entre 09H00 de dia 7 e as 00H00 de dia 9 de julho sob Aviso Amarelo e desde as 00H00 até às 17H00 de dia 9, sob Aviso Laranja, devido à persistência de valores muito elevados da temperatura máxima. O Município de Arronches sublinha a importância da adoção de medidas preventivas, sobretudo por parte da população mais vulnerável ao calor,  como crianças nos primeiros anos de vida, idosos, portadores de doenças crónicas (cardiovasculares, respiratórias, renais e diabetes), obesos, acamados, pessoas com problemas de saúde mental e pessoas que tomam medicamentos, tais como, anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos, neurolépticos, entre outros. Abaixo se publicam algumas medidas importantes nesse sentido:   Proteja-se do sol e do calor - Evite a exposição direta ao Sol, em especial, entre as 11 e as 16 horas; - Na praia, mesmo debaixo do chapéu de sol não está protegido. A água do mar também reflete os raios solares podendo provocar queimaduras solares; - Sempre que se expuser ao Sol ou andar ao ar livre, use protetor solar (índice>30); - Use chapéu e óculos escuros (especialmente para pessoas de pele clara). Proteja a cabeça das crianças com chapéu de abas; - Use roupa solta, de preferência de algodão e aplique sempre protetor solar; - Nos dias de grande calor, os bebés e os idosos não deverão ir à praia; - Diminua os esforços físicos e repouse frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.   Beba e faça uma alimentação equilibrada - Aumente a ingestão de água ou de sumos de fruta naturais, sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede; - Evite bebidas alcoólicas e com elevados teores de açúcar; - Faça refeições leves, pouco condimentadas e mais frequentes; - Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir sede. Ofereça-lhes água.   Refresque-se - Permaneça 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco. Se isso não for possível em sua casa, visite centros comerciais, museus, cinemas ou outros locais com ar condicionado; - No período de maior calor tomar um banho de água tépida. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura.   Em casa - Evite que o calor entre. Corra as persianas ou portadas e mantenha o ar a circular; - Abra as janelas durante a noite; - Use menos roupa na cama, sobretudo, dos bebés e doentes acamados.   Em viagem - Se o carro não tiver ar condicionado não feche completamente as janelas; - Leve água ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar; - Sempre que possível viaje de noite; - Evite a permanência em viaturas expostas ao Sol, em especial, de crianças, doentes ou idosos.   Procure e dê ajuda - Não hesite em pedir ajuda a um familiar ou vizinho no caso de se sentir mal com o calor; - Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas ou com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor.   Ajude a passar esta mensagem!   Se necessário ligue: Saúde 24 - 808 24 24 24 e em caso de emergência ligue 112.   Siga aqui, diariamente, os alertas lançados pelo IPMA: https://bit.ly/3yA3KNh   Siga aqui, diariamente, as previsões do Índice Ultravioleta: https://bit.ly/3dVhY3z   Siga aqui, diariamente, as Classes de Risco de Incêndio por Concelho: https://bit.ly/2vo8bvB
Projeto Charclean apresentado em Arronches
20 jun '22 | Ambiente
Projeto Charclean apresentado em Arronches
Produção de carvão vegetal esteve em discussão no auditório do Centro Cultural na passada sexta-feira.   O auditório do Centro Cultural de Arronches recebeu na tarde da passada sexta-feira, dia 17 de junho, o 2.º Seminário do Projeto Charclean, uma iniciativa que visa melhorar o conhecimento atual sobre a produção de carvão vegetal em Portugal, incluindo a sua relevância económica e ambiental. Moderado por José Figueiredo, membro da equipa responsável pelo projeto do Departamento de Ambiente e Ordenamento da Universidade de Aveiro este evento teve como palestrantes outros integrantes do grupo de investigação, nomeadamente Arlindo Matos, Daniel Neves, Félix Charvet, Mariana Leite e Teresa Nunes. Além da apresentação do projeto, neste seminário abordaram-se temas como o Departamento de Ambiente e Ordenamento da Universidade de Aveiro enquanto centro de competências em processos termoquímicos, a produção de carvão vegetal em Portugal, a carbonização de biomassa, a carbonização de madeira sob condições laboratoriais controladas, as condições de operação de um forno tradicional de produção e carvão vegetal, as características do carvão vegetal e finos gerados num forno de carbonização tradicional, as emissões associadas à produção tradicional de carvão vegetal e o futuro da produção de carvão vegetal em Portugal. No final houve espaço para o debate com o público presente, no qual se encontrava o presidente, o vice-presidente e a vereadora da Câmara Municipal, respetivamente João Crespo, Paulo Furtado e Maria João Fernandes, os presidentes da Juntas de Freguesia de Assunção, Esperança e Mosteiros, Pedro Fernandes, Luís Janeiro e Diamantino Pinto e ainda João Paulo Cardoso, da empresa do concelho ‘Cardoso & Cardoso - Comércio de Carvão, Cortiça e Lenha, Lda.’, entre outras entidades. Na sua intervenção, o presidente do Município, João Crespo, destacou a riqueza de conteúdo do trabalho apresentado, o qual irá trazer benefício para este tipo de indústria, que em Arronches tem uma assinalável dimensão, encorajando toda a equipa a continuar com as investigações em prol do desenvolvimento desta área industrial.