Ir para Conteúdo

Notícias

Arronches reúne mais de 600 quilos de óleo alimentar usado em 2023
26 fev '24 | Ambiente
Arronches reúne mais de 600 quilos de óleo alimentar usado em 2023
À semelhança do que aconteceu em relação a outros materiais, Município solicitou os dados junto da empresa responsável pela recolha de recolha de óleos alimentares usados.   Tal como fez anteriormente com outros materiais, também em relação à quantidade depositada nos oleões espalhados pelo concelho, o Município de Arronches solicitou informação junto da ‘Biogenoa - Serviços de Gestão de Resíduos’, empresa responsável pela recolha de óleos alimentares usados e posterior tratamento para utilização no fabrico de biocombustíveis – o biodiesel – e de detergentes ecológicos. Os dados fornecidos indicam que no concelho de Arronches, em 2023, foram depositados nos respetivos contentores cerca de 660 litros de óleo e gordura alimentar, o que perfaz um total de 0,61 toneladas, uma redução em relação às 1,22 toneladas depositadas no ano anterior [ver gráfico abaixo]. O Município de Arronches relembra a importância de reciclar óleo alimentar usado, uma vez que a deposição deste líquido no esgoto constitui uma fonte de poluição que compromete o tratamento de águas residuais, contribuindo para a degradação da qualidade da água. Com essa ação de proteção do meio ambiente, os munícipes vão estar a contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 6, 11 e 12 proclamados pela Organização das Nações Unidas, respetivamente ‘Água Limpa e Saneamento, ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’ e ‘Produção e Consumos Sustentáveis’.  
Quantidade de monos recolhidos em Arronches diminuiu
17 fev '24 | Ambiente
Quantidade de monos recolhidos em Arronches diminuiu
Valores da mobília e objetos de grandes dimensões recolhidos pelo Município diminuíram no ano transato.   Numa prática adotada pela autarquia há alguns anos, os serviços do Município de Arronches encontram-se disponíveis para, mediante contacto prévio e agendamento, recolher a mobília antiga e objetos de grandes dimensões que já não sejam necessários nas habitações dos residentes no concelho, evitando o seu depósito junto dos contentores de resíduos. Se parte desse mobiliário, estando em condições de ser reutilizado, é diretamente encaminhado para o Banco Social do Móvel, tendo em vista a sua entrega a famílias carenciadas residentes em Arronches, os restantes são encaminhados para a empresa responsável pela recolha e tratamento de resíduos no território, no caso a VALNOR. No sentido de perceber qual a quantidade de monos produzida em Arronches, o Município contactou a referida entidade e verificou que tem existido um decréscimo nos valores [ver gráfico abaixo], tendo em 2023 sido produzido um total de 105,50 toneladas. O Município de Arronches relembra que a doação de móveis usados pode ser solicitada através do contacto com o gabinete de Ação Social da Câmara Municipal, presencialmente ou através do contacto telefónico 245 580 080. Com esta atitude, os munícipes irão contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 11 e 12 definidos pela Organização das Nações Unidas, no caso. ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’ e ‘Produção e Consumos Sustentáveis’, respetivamente.  
Recolha de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos mantém-se perto da tonelada
15 fev '24 | Ambiente
Recolha de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos mantém-se perto da tonelada
Dados foram fornecidos pelos Bombeiros Voluntários de Arronches no âmbito da iniciativa ‘Quartel Eletrão’. Os resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos contêm matérias que representam um elevado nível de perigo para o ser humano, como é o caso do cádmio, o chumbo ou o mercúrio e é por essa razão que devem ser devidamente tratados por entidades com competência para tal. Os Bombeiros Voluntários de Arronches aderiram ao projeto ‘Quartel Eletrão’, cujo objetivo é envolver as associações humanitárias na sensibilização da população para a importância de reciclar. Este projeto, além de contribuir para a proteção do ambiente, através da entrega dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, habilita ainda os Bombeiros Voluntários a um veículo ligeiro de combate a incêndios. O Município de Arronches solicitou os dados à referida instituição, constatando que a reciclagem dos referidos materiais se mantém na ordem dos valores do ano transato, tendo em 2023 sido recolhido ou entregue nas instalações dos Bombeiros Voluntários um total de 9 500 quilos. A autarquia relembra que, além de receber os materiais no quartel, os Bombeiros Voluntários fazem ainda a recolha dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos ao domicílio, mediante agendamento, através do contacto telefónico 245 583 274 ou do endereço de e-mail abvarronches1979@sapo.pt, uma ação que contribui para o cumprimento dos objetivos 11 e 12 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável decretados pela Organização das Nações Unidas, respetivamente, ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’ e ‘Produção e Consumos Sustentáveis’.  
Concelho reuniu mais de seis toneladas de têxtil para reciclar
09 fev '24 | Ambiente
Concelho reuniu mais de seis toneladas de têxtil para reciclar
Arronches subiu consideravelmente no volume de material têxtil enviado para tratamento e posterior reutilização.   Apesar do mais comum ser a reciclagem de embalagens e o metal, o papel ou o vidro, outros materiais podem ser de igual forma enviados para tratamento, tendo em vista a sua reutilização, contribuindo desta forma para a proteção do meio ambiente. Um dos exemplos é a reciclagem de material têxtil e, consciente da importância de adoção desse comportamento, o Município de Arronches dispõe, desde 2013 e numa parceria com a empresa ‘H Sarah Trading’, de contentores de recolha espalhados pelo concelho e que permitem o depósito de roupa, calçado, brinquedos, entre outros têxteis do lar. Solicitados os dados à empresa, é com agrado que a autarquia constata que os números se encontram a aumentar [ver gráfico abaixo], tendo sido enviado para reciclagem, pela população arronchense, um total de 6043 quilos durante o ano de 2023. De realçar que, de acordo com informações oriundas da Comissão Europeia, estima-se que, por cada quilo de têxtil reciclado, se evite a emissão de três quilos de CO2 para a atmosfera, numa ação que dá o seu contributo para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 11 e 12 definidos pela Organização das Nações Unidas, respetivamente ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’ e ‘Produção e Consumos Sustentáveis’.  
Arronches continua distante das metas de reciclagem
06 fev '24 | Ambiente
Arronches continua distante das metas de reciclagem
Quantidade de resíduos enviados para reciclagem mantém-se bastante longe do pretendido para os concelhos com esta dimensão.   A proteção do meio ambiente é um assunto que se mantém na ordem do dia nas discussões de entidades a nível autárquico, intermunicipal, governamental, europeu e mundial. A mudança de atitude e adoção de medidas capazes de satisfazer as necessidades no presente sem comprometer o futuro é necessária e urgente. Daí que estejam a ser traçadas cada vez mais metas a atingir no sentido de garantir a tão desejada sustentabilidade. Parte desses objetivos passa pela reciclagem de resíduos e a quantidade de resíduos recolhidos em Arronches destinados à reciclagem continuam a estar bastante longe das metas traçadas para concelhos da sua dimensão, segundo os dados solicitados pelo Município à VALNOR, empresa responsável pela recolha e tratamento de resíduos no território. Assim, verifica-se que, em 2023, Arronches reciclou um total de 100,91 toneladas entre papel, embalagens e metal e vidro. Dividido por toda a comunidade, estes números significam que cada um dos habitantes reciclou um total de 36,18 quilos ao longo do último ano. Por material: foram recolhidas 37,76 toneladas de papel, um total de 13,54 quilos depositados por munícipe; já nas embalagens e metal, a totalidade do ano foi de 29,69 toneladas, o que significa que cada arronchense reciclou 10,65 quilos e, finalmente, no que ao vidro diz respeito, o valor total foi de 33,46 toneladas, ou seja, 12 quilos por cada habitante do concelho. As quantidades acima mencionadas continuam a ser insuficientes, sendo de fulcral importância alterar comportamentos, de modo a tornar o concelho cada vez mais sustentável, para proteger o ambiente e garantir o futuro do planeta e o bem estar de gerações vindouras. De relembrar que a reciclagem contribui diretamente para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 11 e 12 da Organização das Nações Unidas, respetivamente, ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’ e ‘Produção e Consumos Sustentáveis’.   Consulte, por material, a evolução dos valores da reciclagem em Arronches durante os últimos anos:
Limpeza e desobstrução de cursos de água em terrenos particulares
26 jan '24 | Ambiente
Limpeza e desobstrução de cursos de água em terrenos particulares
Agência Portuguesa do Ambiente emite informação destinada aos proprietários ou possuidores de parcelas de parcelas de leitos e margens de cursos de água nas frentes particulares e fora dos aglomerados urbanos.   A Agência Portuguesa do Ambiente I.P., através da Administração da Região Hidrográfica do Tejo e Oeste faz pública, emitiu um edital destinado aos proprietários ou possuidores de parcelas de leitos e margens de cursos de água não navegáveis nem flutuáveis, nas frentes particulares e fora dos aglomerados urbanos, com a notificação de que a limpeza e conservação dos mesmos é da sua responsabilidade, conforme o  disposto na alínea a) do n.º 5 do artigo 33.º da Lei n.º 58/2005, de 29 de dezembro, na sua redação vigente – Lei da Água. No documento, pode ler-se que a “salvaguarda do equilíbrio ecológico e do bom funcionamento da rede hidrográfica, tem em consideração o princípio da corresponsabilização de todos os utilizadores e gestores dos recursos hídricos, através de medidas para conservação e reabilitação dos cursos de água, nomeadamente a sua limpeza e desobstrução, de modo a garantir as condições de escoamento dos caudais líquidos e sólidos em situações hidrológicas normais ou extremas.”. Com o não cumprimento da obrigação acima mencionada, os proprietários incorrem na prática de uma contraordenação, nos termos do artigo 25.º da Lei n.º 50/2006, de 29 de agosto, republicada na Lei n.º 114/2015, de 28 de agosto – Lei Quadro das Contraordenações Ambientais, podendo-lhes ser imputados os custos das operações de limpeza levadas a cabo pela Agência Portuguesa do Ambiente, em sua substituição. Consulte abaixo o edital tornado público, bem como o Manual de Procedimentos para Limpeza de Cursos de Água: